Bolinho de Bacalhau e o Mercado Municipal de SP

29.01.13 | Escrito por Daniel Nascimento

Sabadão chegou, e decidimos dar um pulinho na famosa Rua 25 de Março para fazer umas comprinhas para a casa!

E é lógico, que passadinha na Rua 25 de Março, implica numa voltinha no Mercado Municipal de São Paulo, para comer o famoso Bolinho de Bacalhau, ou o Pastel de Bacalhau, ou aquele sanduíche com praticamente 300 gramas inacreditáveis de Mortadela, mas acredite, se você é um fã deste ingrediente, com certeza vale a pena experimentar este sanduíche também!

O post de hoje é um pouquinho diferente do tradicional, pois me lembrei de uma história que aconteceu comigo, se não estou enganado no começo do ano 2007, quando eu já estava há um ano em terras paulistas.

Bem... Antes de falar sobre o Bolinho de Bacalhau, quero contar para vocês uma história real.

Estava eu trabalhando numa quinta-feira qualquer, lembro-me como se fosse hoje, dia do meu ("famoso") rodízio municipal de veículos aqui em São Paulo.

Na época "sofria" com o rodízio às quintas-feiras, na qual acordava por volta das 6h da manhã para correr contra o relógio e chegar ao trabalho até as 7h da manhã e escapar do rodízio, e sendo possível, voltava para casa por volta das 16h, para escapar novamente do horário do rodízio e não ficar "preso" no trabalho até às 20h.

Eis então uma quinta-feira específica, que tinha tudo para ser um dia normal como qualquer outro, se não fosse por uma encomenda que recebi ao retornar para casa no meio da tarde.

Voltando então a minha rotina, acordei cedinho, e já saí correndo para o banho, e então direto para o carro para chegar a meu local de trabalho. Como de costume, cheguei com o tempo estourando o horário do rodízio, mas cheguei! :)

Tudo corria normal aquele dia, e acabei por decidir que pularia o horário de almoço e chegaria um pouquinho mais cedo em casa para fazer algumas atividades domésticas. Pois bem, tomei um café da manhã mais reforçado, comprei algumas guloseimas para comer ali mesmo, frente ao computador e enganar um pouco a fome e o estômago.

14.00h

...

14.30h

...

15.00h

Eis que chega a deliciosa hora de voltar para casa, pois muito trabalho me esperaria. Um pouco de trânsito no caminho para a casa, e a fome ia aumentando a cada Km que se passava. Penso na possibilidade de procurar algum restaurante no caminho e fazer uma paradinha rápida para pegar algo para comer... a fome me dominava e não havia nada mais na geladeira se não duas latinhas de cerveja e água.

Penso um pouco sobre as possibilidades que encontraria no caminho, mas em todos os locais que se passara na minha mente não seria possível encontrar uma boa comida para satisfazer os desejos glutões de minha pessoa. Me contento em ir para casa e pensar num plano B.

Com certeza, algo muito melhor estava reservado para mim, e eu nem faria ideia naquele momento.

Enquanto tudo isso acontecia, mais ou menos 24h antes, eis que o protagonista da história entra em ação: meu avô Luciano, um senhor que também é apaixonado pela boa cozinha, e adora inventar e reinventar algumas gulodices.

Aqui vale algumas informações adicionais, meu avô, Luciano Belo Pereira, no auge de seus quase 96 anos, além de se aventurar na cozinha, escreveu seu primeiro livro após uma longa e profunda pesquisa, que também rendeu para toda a família deliciosas histórias, o reeditou, e agora escreve um segundo título ainda com muito suspense para todos nós.

Ah, além disso, é ligadíssimo na Internet (e-mail, messenger, etc) já há bastante tempo! E pergunte-me se hoje ele vive sem?

Voltando para nossa historinha...

De volta para o trânsito, aponto o carro na portaria do prédio quando o relógio se aproxima das 16h, e o porteiro todo solícito pede para eu dar uma passadinha na portaria antes de seguir para casa.

Ao chegar lá, ele me fala que tem um Sedex para retirar. E logo penso... "Sedex??? Não pedi nada para ninguém, nem comprei nada nas últimas semanas... O que será???!

Fico bem instigado quando vejo o remetente... O ilustre Sr. Luciano Belo Pereira me mandou alguma lembrança. Subo ansioso para descobrir o que é. Tento abrir a embalagem muitíssimo bem embalada, equlibrando mochila e mais algumas coisas, ao mesmo tempo que curiosamente tento abrir a caixinha que tanto dispertara minha curiosidade.

À essa altura, meu estômago implorava por minha atenção, que já havia esquecido da fome, e voltara toda a atenção do mundo para aquela caixinha.

Chego na porta do apartamento, encontro um pouco de dificuldade para abrí-la, afinal de contas, são tantas coisas na mão... Decido jogar a mochila de lado e procurar as chaves para abrir a porta. Quando venço este desafio, me jogo para cima da mesa, e esqueço do mundo.

Em meio a um muitíssimo bem feito embrulho, abro-o com todo o cuidado, pois não fazia a menor ideia do que encontraria.

E quando me deparo com um potinho... Absolutamente recheados de bolinhos de bacalhau. Naquela hora o mundo parou por um instante. Imaginem a felicidade de receber um presente como este, potencializada a décima potência, por todo o contexto que acabo de discorrer para vocês!

Não hesitei!!!

Voei para a geladeira, em busca daquela cerveja geladinha que sobrara do fim de semana. Separo a segunda latinha para o congelador.

Felicidade completa!!! Cervejinha gelada e bolinhos de bacalhau feitos por meu avô, despachados via Sedex de cerca de 600 Km de distância.

Acho que não preciso contar como essa história acabou, certo?

Buon appetito!

Ah... já ia me esquecendo do assunto de hoje!!!

Continuando o post de hoje, a visita no mercadão de SP se tornou um passeio turístico e obrigatório para todos que visitam a cidade. Particularmente, recomendo a subida para o segundo andar, pegar uma mesinha e deliciar-se com todas as delícias que são servidas por lá. Particularmente meio preferido, nessa altura do campeonato, vocês já sabem qual é, certo?

O melhor Bolinho de Bacalhau do Mercado Municipal de São Paulo - Caldo & Freddo Blog de Gastronomia

A visita ao mercado também pode nos surpreender muito, tanto pela qualidade dos produtos que encontramos sempre fresquinhos, mas também pela diversidade de coisas que se encontram lá, até mesmo ingredientes bem exóticos de nossa vasta culinária brasileira e todas suas regionalidades.

Barraca de Temperos do Mercado Municipal de SP - Caldo & Freddo Blog de Gastronomia

Barraca de Temperos do Mercado Municipal de SP - Caldo & Freddo Blog de Gastronomia

Barraca de Queijos do Mercado Municipal de SP - Caldo & Freddo Blog de Gastronomia

Barraca de Bacalhau do Mercado Municipal de SP - Onde comprar - Caldo & Freddo Blog de Gastronomia

Por hoje é isso meus amigos!

Buon appetito!

Comentários (1)

  • Elisabeth Nascimento

    13 Março 2013 às 21:34 |
    Também me lembro da imensa felicidade sua em me ligar contando , o que aliás, eu já sabia que ia acontecer. Papai havia me convidado a provar os deliciosos bolinhos frsquinhos na cozinha e, comentou da remessa. Tenho ORGULHO demais deste Pai eternamente presente!!!

Deixe um comentário

Você está comentando como visitante. Login opcional abaixo.

Campos com (*) são obrigatórios

Siga-nos

  • Siga-nos no Facebook
  • Siga-nos no Twitter
  • Siga-nos no Google+
  • Siga-nos no Pinterest
  • Siga-nos no Instagram
  • Assine nosso Feed

Gostou? Então curte a fanpage!

Publicidades

Parceiros

2012 - 2013 :: Caldo & Freddo | Blog de Culinária, Gastronomia e Receitas :: Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: Genuinne